No Country For Old Men

Padrão

uma das maneiras pra se avaliar um filme como manifestação de arte pode ser o tempo que ele permanece roendo seus miolos. os filmes com substância tendem a ficar rodando na sua cabeça por horas e dias, e depois reaparecem nas suas idéias quando menos se espera. pois parece que Onde os Fracos Não Têm Vez, dos irmãos Coen, é um filme desse tipo.

não sou precisamente uma fã de carteirinha dos Coen (embora ache O Brother, Where Art Thou? um filme fantástico, de assistir dez vezes), mas tive que tirar o chapéu pra maneira pela qual eles costuraram esse provável Oscar.

o fato é que o filme me impressionou, principalmente por seu silêncio absoluto, pelas não-convencionais escolhas da narrativa e por sua tensão contínua, segurada a ferro e fogo pela frieza de Javier e pela franqueza de Josh Brolin. mesmo quando vemos a pasmaceira da vida do xerife – que busca ficar cada vez mais indiferente ao inferno do mundo “lá fora” (vide a observação de sil sobre o filme ser uma obra “sobre envelhecer”) – a tensão continua. eu, pelo menos, ficava sempre esperando aquele silêncio e aquela fala mansa serem quebrados por uma “aparição” de Anton Chigurh.

e, enquanto o filme continua passando na minha cabeça (vi somente ontem à noite), eu mais uma vez me confronto com o dilema da mala cheia de dinheiro. por que diabos Llewelyn simplesmente não se livrou da mala? era o que eu faria, pelo menos assim que eu visse aquele louco do Anton. eu pagaria pra não me meter com ele. mas eu sou covarde e procuro fugir de confusões. eu quero uma vida tranquila, eu sou certinha.

eita, só agora entendi direito o título do filme.

Anúncios

Uma resposta »

  1. tb achei do caralho o filme.
    mas uma coisa, queria refletir sobre as falas derradeiras do tommy lee jones… o que tu achas que significa? alguma metáfora?

    em tempo, acho que o filme merece melhor filme. e tem boas chances.

    já melhor ator… minha torcida fica com viggo mortensen. embora ache improvável sua vitória, pois a turmar lá tende a ser muito convencional. e nos últimos anos só tem dado biografia (capote, ray…).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s